Olá Amigos!
Bem-vindos ao meu diário na internet. Espreitem as ligações do lado direito e conheçam-me melhor, aos meus amigos e ao meu Mundo. Não se esqueçam que podem sempre deixar-me uma mensagem.
Voltem sempre e não se esqueçam de cuidar da nossa Natureza!

Topas

Querem fazer parte da nossa mailing list, para serem os primeiros a saber as novidades do CEA - AdDP? Escrevam para cea@addp.pt (assunto: mailing list) e todos os meses receberão novidades nossas!

sexta-feira, setembro 30, 2011

Vindimas...

... essa altura magnífica do ano em que podemos degustar vinho doce!

E o simpático Sr. S. não nos quis deixar a pensar no vinho doce sem o provar.
Um tchim tchim à Natureza que nos dá as uvas e ao Sr. S. pela dádiva/partilha!

VinhinhoDoce

Djembe rules!



Ideias

Vendo esta fotografia/ideia na internet e com muitos rolos de papel higiénico guardados aqui na despensa, eu e a Tupilde começamos a fazer uma coisa do género.

RolosPapelNinégico

ArteComRolosPapelHigiénico 002

quinta-feira, setembro 29, 2011

As bolas de sabão "gigantones"

Porque está um sol maravilhoso e é um crime ficar entre portas.
Porque é necessário treinar variadas técnicas de animação.
Porque as crianças estão vivas dentro dos adultos.
Porque é necessário rir, saltar e brincar.
Porque é assim que se entende o que as crianças gostam.
Porque é mágico ver os sorrisos espelhados nas bolas de sabão.
Porque é bom fazer magia.
Porque motiva.
Porque é bom parar de olhar para o PC, nem que sejam 15 minutos.
Só porque é bom.

MixGigantone

Mix2Gigantone

BolasDeSabão Gigantones

BolasDeSabão Gigantones2

Aqui, podem ver e entender a Química das bolas de sabão.

Projeto - Permacultura no CEA

Dia 5

O símbolo.
Aqui está ele.
Após 3 tentativas.
À terceira é de vez.

Dia5 001

Dia5 002



Dia5 004



TARAM!

Dia5 003



1052_Logo_perm_F



Com o intuito de congregar todos os objetivos gerais do CEA foi criado o Projeto – “Permacultura no CEA”.

A Permacultura é um conceito criado, em meados dos anos 70 pelos ecologistas David Holmgren e Bill Mollinson, para descrever um “sistema integrado de espécies animais e vegetais perenes ou que se perpetuam naturalmente e são úteis aos seres humanos”. A permacultura é um método usado para planear, atualizar e manter sistemas de escala humana ambientalmente sustentáveis, socialmente justos e financeiramente viáveis. Para tal são aplicados, de forma criativa, 12 princípios integrando plantas, animais, construções e pessoas num ambiente produtivo, estético e em harmonia. Dentro deste projeto são realizadas variadas atividades em que os visitantes podem participar, aliando-se como voluntarios.

Às vezes...

...a Natureza é feita de ouro.
Preciosa.

Um vegano que é zombie?

Divirtam-se com os vídeos que este "zombie" nos oferece; sempre com uma pitada de veganismo!

quarta-feira, setembro 28, 2011

E para balançar com o calor, um pouco de frio do Ártico com os meus amigos pinguins

Só porque hoje está um calorzinho pequenino à beira rio

Projeto - Permacultura no CEA

Dia 4
Fiquem só com um cheirinho do que vai ser o símbolo associado a este projeto:



Cobrinha

Salamandra?

A Tupilde hoje "deu de caras" com uma amiga nossa: uma Chioglossa lusitanica?

Apresentação1
Foi colocada na relva, pois é o local mais húmido que se encontra aqui perto, tendo em conta que ela apareceu aqui sozinha. Espero que tenha encontrado o seu local de abrigo ideal!

(se clicarem no nome científico, poderão aceder a todas as informações essenciais sobre esta espécie, desde a alimentação, ameaças, reprodução, habitat, distribuição, entre outras)



video

Para "crescer", ler ler ler...

When asked how to develop intelligence in young people, Albert Einstein was reported to have said: “Read fairy tales. Then read more fairy tales.”

Paredes vivas

Além do autocarro movido a "trabalho de todos os que nele querem andar", encontrei um projeto interessantíssimo: um mapa vivo!

Um grupo de arquitetos idealizou um jardim vertical interior, que representa um mapa:
"The main floor is organized around a continuous 84 ft. long walnut bookshelf designed to precisely match the map of Manhattan. Each edge of the bookshelf denotes a street, with Central Park transformed into a living green wall. Precise attention was paid toward the size and intersection of streets, with smaller parks identified throughout. The main open office space lies directly adjacent to the map-wall, providing ample seating for 60 individuals on continuous custom bamboo desks."

Questão técnica: como farão a manutenção das plantas?


quinta-feira, setembro 22, 2011

Não se esqueçam que...

... amanhã às 09:04 será o Equinócio de Outono.
Eu tenho frio.
Hoje e ontem - muito frio invadiu o meu corpo.
Por mim, este ano, o Verão durava mais um pouco.
Não custava nada.
Mas tem de ser, pois a Natureza manda.
Um viva ao renascimento das 4 estações!
Ao menos isso.
E amanhã, a quantidade de dia vai ser igual à quantidade da noite.
Façam uma festa, não se esqueçam!

Até para a semana,
Topas & Tupilde

Projeto - Permacultura no CEA

Dia 3

Só tenho 2 palavras para o dia de hoje: MIND MAPS!

Dia3

As galinhas e a jardinagem

O Sol a dar uma ajudinha à tecnologia:

From smartphones and e-readers to laptops and tablet computers, today’s high-tech devices put a wealth of information and utility at our fingertips – however it can be a real challenge to keep these power-hungry gadgets charged while you’re on the go. Fortunately, solar technology has kept step with the pace of consumer tech and there’s a great set of devices out there that will keep your gadgets charged with clean, green energy anywhere the sun shines. From solar iPhone cases and energy-generating photovoltaic trees to hi-fi audio systems powered by the sun, read on for 10 solar gadgets to charge your life!



solarball-water-purifier

quarta-feira, setembro 21, 2011

Projeto - Permacultura no CEA

Dia 2

Hoje foi dia de utilizar o Google Earth para ver a área a ser trabalhada, estudar as plantas (1/1000) do projeto de requalificação ecológica e paisagística da mata sobranceira ao CEA-AdDP e da ETA de Lever, pensar/imaginar/idealizar o símbolo associado a este projeto, regar as plantações de ontem e dar um arranjinho nos compostores que já existem (por causa da alta temperatura e porque o composto estava bastante seco, estava na altura de o regar e de acrescentar umas plantas especiais: feto águia e eucalipto).

Feto águia - Pteridium aquilinum
Eucalipto - Eucalyptus spp
Ambos foram usados com o objetivo de afastar insectos ou outras pragas quando o composto for usado nas sementeiras e plantações do CEA.

ImagemAerea2

O CEA-AdDP nos media

*O Portal dos Miúdos refere o CEA como um ótimo lugar para as famílias se divertirem. Sim sim, nós também achamos! "Vamos divertirmo-nos em família".

*A revista Comunicação Empresarial da APCE (nº37 - Jan.Jun2011) fez um artigo sobre o Workshop de Comunicação e Sustentabilidade, decorrido no CEA.

RevistaComunicação 001



RevistaComunicação 002




*O Jornal Audiência prestou uma especial atenção às nossas atividades alusivas ao Dia do Ambiente e à realização do Workshop de Comunicação e Sustentabilidade:

JornalAudiência

JornalAudiência2


*O Comércio de Gondomar noticiou a presença da Raquel na tertúlia, decorrida na Casa da Juventude de Gondomar e cujo tema foi: "A Água como recurso terapêutico":

ComercioGondomar


*A Associação de Pais e Encarregados de Educação do Jardim de Infância da Quinta do Sol, referiu a visita feita ao CEA no seu blog.


UFA!
É bom sermos reconhecidos de uma forma ou de outra.

"A água da torneira é segura e de confiança"

(2011-08-11)
A ERSAR tranquiliza os consumidores quanto à qualidade da água da torneira proveniente da rede pública


Em resposta a títulos alarmistas publicados recentemente em alguns meios da comunicação social relativamente a bactérias resistentes a antibióticos detectadas na água potável e em estações de tratamento de águas, esclarece-se que os resultados obtidos no controlo da qualidade da água na torneira dos consumidores portugueses, através de mais de 600.000 análises por ano, revelam níveis de qualidade muito elevados, com cerca de 98% da água da torneira proveniente da rede pública controlada e de boa qualidade. Os restantes 2% são situações pontuais, objecto de intervenção imediata da entidade gestora em articulação com a entidade reguladora e as autoridades de saúde, não colocando problemas de saúde pública.
A água da torneira é efectivamente sujeita a um exigente, rigoroso e permanente controlo da qualidade que cumpre os requisitos legais estabelecidos nas normativas europeias e internacionais, baseados estes nas orientações da Organização Mundial de Saúde, nos melhores conhecimentos científicos e no princípio da precaução. A ERSAR fiscaliza o controlo da qualidade da água efectuado regularmente por todas as entidades gestoras nas torneiras das casas dos consumidores, cabendo também às autoridades de saúde concelhias acompanhar este controlo, emitindo se necessário pareceres sobre eventuais riscos para a saúde
Após contacto da ERSAR com a coordenadora do estudo de investigação que serve de base às notícias, ainda em desenvolvimento, esclarece-se que de modo algum se pode concluir haver risco para a saúde pública, como a própria autora do estudo confirma, nem sequer haver necessidade de intensificar o controlo da qualidade da água da torneira.
Tal como o consta dos relatórios anuais da ERSAR, os portugueses podem beber água da torneira com confiança, podendo ter acesso a informação sobre a sua qualidade quer junto da respectiva entidade gestora quer junto da entidade reguladora.

terça-feira, setembro 20, 2011

1º passo prático» Projeto - Permacultura no CEA

DIA 1
E quem disse que o projeto tinha que nascer primeiro do que a realização?
Afinal, quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha?



PermaculturaDia1 010


De pés descalços na terra e as mãos picadas pelas agulhas dos enormes pinheiros, o primeiro dia deste projeto não correu nada mal.
A primeira coisa a fazer, e de forma a naturalizar todas as guardas/gradeamento metálicas(os) do espaço, e também aproveitando uns belos chuchus a rebentar, foi plantar 3 chuchus.
O chuchu (Sechium edule) é uma trepadeira que cresce sem parar - ideal para o objetivo que tenho na cabeça - tapar os gradeamentos metálicos. Há quem o conheça como machucho, caiota ou pimpinela. É um fruto riquíssimo em fibras, como potássio e vitaminas A e C. Os rebentos de chuchu são ricos em nutrientes como as vitaminas C e B, e também são excelentes fontes de cálcio, fósforo e ferro.
Ora, é excelente para quem segue uma alimentação vegetariana/vegana.
É o México no CEA (chuchu - Nativa do México, Guatemala, El Salvador)!

No espaço onde os 3 chuchus foram plantados encontrei algumas couves, alfarroba, espinafres e salsa. Uma pequena hortinha a ser melhorada.




Dia1


Nota mental: controlar o crescimento destes pés de forma a não se tornarem infestantes!

Até ao próximo passo!

Reportagem: veneno nosso de cada dia

Tenho visto na televisão por cabo excelentes programas sobre este tema. E é muito difícil agora, conseguir consumir seja o que for que eu não saiba as origens. Impressionante o que os fabricantes colocam na comida!



Grupo de batucada na ES.COL.A da Fontinha

Hoje, ao fim do dia:

20 de Setembro, terça-feira, das 17h00 às 19h00

Criação de um grupo de "batucada" na Es.Col.A! Este será o primeiro encontro nesse sentido. A ideia é criar uma batucada com instrumentos reciclados e verdadeiros ritmos de samba, com Frankão e Ritmos de Resistência.



E as batucadas fazem bem ao espírito!

sexta-feira, setembro 16, 2011

A Lua...

... e a influência que nos faz. Saibam tudo aqui.

Por aqui, vai diminuindo pouco a pouco.
Até já Lua!

ALELUIA!

Ao fim de 4 anos e uns meses, alguém usufrui naturalmente do CEA: apenas com um livro nas mãos e uma vista maravilhosa à sua frente!
Ah mente iluminada!

Coisas e loisas

A Naomi Campbell e a sua grande e ecológica casa.

Tamera e o biogás:
É mesmo possível ser tão simples? Restos de cozinha são misturados com água e sujeitos à acção de bactérias estomacais dentro de um receptáculo estanque. Passado apenas um dia, o gasómetro colocado mais acima num recipiente de gás, sobe, e o biogás passa através de um tubo até ao consumidor final, pronto para ser usado numa lanterna a gás ou para cozinhar. Cada balde de restos de cozinha produz uma quantidade de gás que permite cozinhar durante duas horas – e simultaneamente um adubo líquido precioso para o quintal.

O próprio T. H. Culhane mal conseguiu acreditar quando há dois anos conheceu Dr. Anand Karve do Instituto ARTI na cidade industrial Poona na Índia. Em vez do habitual estrume de vaca, usava restos de cozinha nas suas mini instalações de biogás. A sua conclusão: «É 400 vezes mais efectivo do que o sistema com estrume de vaca.»

T. H. trabalha há anos nos bairros degradados do Cairo e em outros países africanos para desenvolver soluções descentrais relacionadas com a produção de energia com os habitantes.

«Estou a referir-me a soluções verdadeiramente descentrais, não aquilo o que Bill Gates entende quando quer fornecer mini instalações atómicas a todas as aldeias africanas. Mesmo que tal não fosse uma catástrofe para a saúde e o ambiente, roubaria às pessoas algo essencial: a sua capacidade de pensarem por si próprias e de encontrarem soluções por si próprias.»

Inicialmente queria levar energia solar descentralizada para os bairros degradados. «Mas as pessoas não só tinham falta de energia, como um outro problema enorme: estavam a afogar-se em lixo. Faziam artigos para vender a partir de metal e de plástico. Mas o que fazer com o fedor e a miséria permanentes do lixo orgânico, no qual as ratazanas medravam e as crianças adoeciam? Muitas vezes não há espaço para compostagem.»

Com a ideia do biogás, o lixo orgânico torna-se uma matéria-prima preciosa. Nas povoações mais pobres, na selva africana e nos bairros degradados, T. H. experimentou em conjunto com os habitantes. Utilizavam o que tinham – baldes, bidões de plástico, mangueiras, velhos fogareiros a gás – para construir um recipiente de fermentação para o biogás, um receptáculo para o gás de tamanho semelhante, as entradas para os restos de cozinha, as saídas para o gás e o adubo líquido e os aparelhos finais.

Também aproveitou esta capacidade de improvisação em Tamera. Com os participantes entusiasmados do Campus Global construiu em dois dias uma instalação de biogás funcional para a cozinha solar do Campo Experimental. Era como num dos seus vídeos promocionais, onde um habitante de um bairro degradado disse: «Adoro, porque fui eu que fiz.»

T. H. compôs uma canção sobre o tema, a qual canta com uma guitarra eléctrica em todas as suas apresentações. O refrão é fácil: «It's the same gas we pass.» Ou em português: São os mesmos gases que soltamos.

Na realidade, as bactérias dentro do recipiente de fermentação fazem o mesmo como as do nosso estômago: digerir alimentos. Por isso, os restos de cozinha são mais apropriados para a instalação de biogás do que retretes de compostagem ou massa verde pura. A regra geral é: quanto mais diversificado o alimento para a fermentação, melhor. Com algumas pás de estrume de vaca dissolvido em água morna inicia-se a instalação de biogás, as bactérias encontram a sua comida e começam a trabalhar.

O segundo produto de uma instalação de biogás é o adubo líquido, uma solução nutritiva concentrada com todas as componentes que a planta inicialmente necessitou para crescer. De certa forma até é mais valioso do que composto, porque no recipiente fechado não há fugas de amoníaco e o nitrogénio é mantido como composto na sua totalidade.

O único factor limitador é o de as bactérias dentro de um tanque liso de 1000 l apenas conseguirem digerir um balde de restos de cozinha. As bactérias não nadam na sopa de composto, elas vivem em superfícies sólidas, no chão e nas paredes. Só num povoamento no Quénia é que os habitantes tiveram a ideia brilhante: podemos aumentar a superfície dentro do recipiente de fermentação. Tal como uma vaca tem dobras nas paredes do estômago, acrescentamos agora tubos de drenagem com grande superfície para aumentar a quantidade de bactérias e simultaneamente a rentabilidade da fermentação.»

Os restos de cozinha são reduzidos num triturador especial, misturados com a água de lavar a loiça e despejados no recipiente de fermentação. Este está pintado de preto, porque as bactérias trabalham melhor num ambiente quente. O engenheiro chefe de biogás de Tamera diz: «Estou entusiasmado, T. H. é um verdadeiro mestre do LowTech – das soluções técnicas simples. Ambas as instalações estão cheias e começam lentamente a produzir. Dentro de três semanas devem estar completamente funcionais. A seguir só falta colocar os tubos e podemos cozinhar com biogás. À noite e durante o Inverno será um complemento importante para a energia solar.»

Videos de T. H. Culhane:
http://youtube.com/tculhane
http://melodic-mnemonics.blogspot.com/2009/11/making-biogas-is-gas-...
http://melodic-mnemonics.blogspot.com/2009/01/talkin-trash.html
Thanksgiving Song (More and More):
http://melodic-mnemonics.blogspot.com/2008/08/as-we-sow-so-shall-we...



A fazer lembrar o filme "A Lagoa Azul" - Plan B Arquitectos’ Casa en Río Cedro is an Open Air Delight in Colombia.

quinta-feira, setembro 15, 2011

quarta-feira, setembro 14, 2011

Viagens "internéticas"

Com este tempo maravilhoso, não há resistência possível a um almoço ao ar livre!
O Rio refresca os pensamentos, a música enche as bocas de letras e sonoridades diferentes, os visitantes tiram dúvidas e aproveitam o que este local tem de melhor para dar. Ai... que bom!
Enquanto isso, e porque o trabalho espera lá dentro, encontrei uns dados bem interessantes na net. Se não, vejam:

Os lindos e maravilhosos crocos tornam-se tratadores de cancro. Eu bem digo que o herbalismo é o futuro!

Mais umas instruções para a construção de um forno solar, aqui.

A solidariedade na arquitectura.

A República Checa com casas "verdes".


That's all folks!

 
eXTReMe Tracker