Olá Amigos!
Bem-vindos ao meu diário na internet. Espreitem as ligações do lado direito e conheçam-me melhor, aos meus amigos e ao meu Mundo. Não se esqueçam que podem sempre deixar-me uma mensagem.
Voltem sempre e não se esqueçam de cuidar da nossa Natureza!

Topas

Querem fazer parte da nossa mailing list, para serem os primeiros a saber as novidades do CEA - AdDP? Escrevam para cea@addp.pt (assunto: mailing list) e todos os meses receberão novidades nossas!

segunda-feira, maio 31, 2010

Eu fui aos Workshops Gratuitos a 29 de Maio na Feira da Primavera

Ou melhor, fui só a um. De manhã, aprendi a fazer um creme gordo. É tão simples que eu imaginei logo uma prenda toda catita para a minha Tupilde!

Quando paramos para pensar na quantidade de produtos que usamos no nosso dia-a-dia a lista é muito longa.

As embalagens atiradas para o lixo, na maioria das vezes não recicláveis, associados aos ingredientes tóxicos que provocam alergias e contaminam tanto o nosso organismo como o ambiente tornam ainda mais pesada uma factura ambiental já bem elevada.

A verdade que vivemos numa época em que a consciência ecológica se quer apurada e onde os conceitos de sustentabilidade, energias renováveis e impacto ambiental estão cada vez mais presentes. No entanto existe o sentimento de que cada pessoa enquanto consumidor tem um poder de acção muito reduzido para poder aplicar tais conceitos na sua própria casa, o que muitas vezes implica gastar pequenas fortunas.

Este sábado vamos resgatar um técnica ancestral para confeccionar um creme gordo hidratante óptimo para as peles secas.


Orientação: Sylvia Almeida (Alquimias Eco)




Reiki

Este fim de semana saiu uma reportagem interessante no JN. Fossem muitos, ou todos, os Jardins de Infância assim!

Este fim de semana no CEA

Tivemos visitas de amigos e ainda podemos ver coisas que não nos agradaram muito. Sabemos que o Rio Douro não está bem de saúde, mas vê-lo assim foi lastimável!


Feira dos Cristais na FCUP - Porto

Que feira fantástica!
Quem é apaixonado por cristais, como eu, deve ter entrado em transe, não? Esta feira estava fascinante e a preços muito bons. É certo que havia peças caríssimas, mas muitas outras estavam a preços muito acessíveis. Foi como estar noutro mundo - um mundo cristalino. A verdade é que o nosso Mundo já o é, mas os minerais passam despercebidos a muitas pessoas.
Quem foi?
Eu ainda dei uma saltada no Museu de Mineralogia. Valeu bem a pena!


A caminho para a Feira de Cristais na FCUP dei de caras...

... com uma feira vintage!
Foi o regresso ao passado:

Escola EB 2/3 António Dias Simões

Foi o último grupo desta escola que nos visitou. A instituição não nos autorizou a publicação das fotografias tiradas no decorrer desta AEA.

sexta-feira, maio 28, 2010

Escola EB 2/3 António Dias Simões

Infelizmente, esta intituição não autorizou a publicação das fotografias tiradas no decorrer das Acções de Educação Ambinetal que decorreram hoje. Foi um belo grupo!

Animalices "ESQUILÓIDES"

Por mais exóticas que sejam determinadas espécies animais, custa-me sempre muito ver animais mortos. Este morreu com uma pancada de automóvel bem perto aqui do CEA. Menos um esquilo na Natureza...

Águia de Asa Redonda

A fotografia é péssima, mas foi o melhor que se conseguiu, antes que ela abrisse as asas e fugisse!

quinta-feira, maio 27, 2010

É uma rola ou uma pomba?

Nem o guia das aves da Fapas me conseguiu ajudar a distinguir estas aves...

PombaOuRola

Escola EB 23 António Dias Simões

OH Quinto ó!
Este grupo até uma música nos dedicou. Pena os professores não autorizarem a publicação das fotografias. Vamos só ouvir então a melodia dedicada ao CEA:
video

quarta-feira, maio 26, 2010

Hoje foi dia de perceber como decorre a poluição dos rios e lagos...

... com as minhas amigas do Lar Rosa Santos:

Ciclo da água com os meus amigos de Moirais

Escola EB 2/3 António Dias Simões

Esta intituição não autorizou a publicação das fotografias tiradas no decorrer das Acções de Educação Ambiental realizadas hoje.

terça-feira, maio 25, 2010

DIA 4 DE JULHO DE 2010

Curso de Customização de Malas de Verão e Curso de Criação de Malas de Verão - Forseco

Todos os cursos previstos para o CEA, são de 3 horas, com um valor por pessoa de €15,00, incluindo todo o material necessário.

Em anexo encontra-se o programa, assim como a Ficha de Inscrição. Quanto ao pagamento, o mesmo deverá ser feito em numerário no próprio dia, ou antecipadamente por transferência bancária para o nib da FORSECO, Lda.

DIA 2 DE JULHO DE 2010

Curso de Formação no Projecto CRIU - Criança Unitiva (fundamentos e técnicas para uma educação holística) - Sara Braga - FORMAÇÃO GRATUITA!

A educação é uma responsabilidade de todos e não apenas das instituições educacionais. Ela é tão necessária para um homem do campo, que nunca teve estudos e não sabe ler nem escrever, como para o erudito ou o pedagogo. Pois a educação, da forma como a vemos, é algo mais do que uma mera transmissão de informações. Numa primeira parte, o projecto CRIU ® visa apresentar o pensamento segundo o qual a fundação da educação no ocidente está assente num único pilar, quando, a nosso ver são necessários dois fortes sustentáculos. Numa segunda parte, pretendemos desenvolver meios lógicos, que se baseiam em parte na tradição do yoga e no conhecimento Oriental, para que assim possamos estabelecer técnicas capazes de desenvolver outras capacidades da criança, particularmente a intuitiva e a emocional.

Em anexo, são enviadas todas as informações relativas a este curso. O horário é o seguinte: 10h-13h e 14-17h. Com 10-15 min de pausa a meio da manhã e a meio da tarde.
Por favor, queiram fazer as inscrições para o email cea@addp.pt.
Apressem-se, pois o número máximo de inscrições é apenas de 30 pessoas.

DIA 27 DE JUNHO DE 2010

Curso de Alimentação Viva - Susana Vijaya

A Alimentação Viva, arte de se alimentar unicamente de vegetais frescos e minimamente processados, reconhece a Sabedoria da Natureza. Nesta arte, percebemos a importância da frescura e da vitalidade dos alimentos, e evitamos usar o fogão para conservar os nutrientes exactamente da maneira como a Mãe Terra nos entregou. Uma forma de alimentação que nutre e desintoxica o organismo, e que é simples, prática, ecológica, económica e ao mesmo tempo deliciosa!

“Somos o que comemos”, nos diz a velha sabedoria… Comendo da Natureza, a Fonte Suprema de Beleza e de Vida, o que seremos? Aqui fica o desafio...

Se:
sentes que a tua alimentação não é a adequada para melhor nutrir o teu corpo;
queres aprender a alimentar-te mais saudavelmente;
queres aprender um tipo de alimentação que respeite mais a Natureza;
estás fart@ de lavar tachos e panelas gordurentos e encrostados, limpar fogão, etc;
ou simplesmente queres passar a introduzir mais alimentos crus na tua dieta, agora que vem o tempo mais quente,
então, este curso é para ti!

Não precisaremos de uma grande cozinha, pois não vamos cozinhar, mas sim cruzinhar! O curso vai ser extremamente prático, com alguma parte teórica, onde toda a gente participará, num ambiente alegre e descontraído.
Vamos elaborar um pequeno-almoço leve, um almoço bem variado e um lanchinho, com tempo para a degustação dos mesmos e convivio entre
tod@s.

Podes ver as fotos de alguma coisa que iremos fazer neste link:
http://www.facebook.com/album.php?aid=2055943&id=1434760208&l=abcb6ad92b

Duração do curso: 5 horas práticas + tempo para as refeições
Data: domingo, 27 de Junho, das 10h00 às 16h30
Preço: 75,00
Inscrição: no email vijaya.soueu@gmail.com

Formadora: Susana Vijaya, antiga proprietária do Espaço Divinos. Pesquisadora de alimentação saudável há muitos anos, formada em culinária macrobiótica, com conhecimentos de outras filosofias alimentares vegetarianas, como ayurvedica. Passou o ultimo ano e meio a viajar pelo Brasil, onde conheceu, aprendeu e praticou as artes desta culinária, que ela considera o top da alimentação saudável.

DIAS 19 e 20 DE JUNHO DE 2010

Curso de Educador Ambiental - Márcia Moreno e Mariana Cruz

Todas as informações sobre este curso estão no documento anexo, sendo que os interessados devem fazer as inscrições no email marcia.moreno@gmail.com.

DIA 13 DE JUNHO DE 2010

Curso de Customização de Chinelos de Tecido e Curso de Aprendizagem da Técnica de Fuxico - Forseco

Todos os cursos previstos para o CEA, são de 3 horas, com um valor por pessoa de €15,00, incluindo todo o material necessário.

Em anexo encontra-se o programa, assim como a Ficha de Inscrição. Quanto ao pagamento, o mesmo deverá ser feito em numerário no próprio dia, ou antecipadamente por transferência bancária para o nib da FORSECO, Lda.

Novas formações no CEA - inscreva-se já!

Vem aí o calor.
O calor obriga-nos a procurar o ar fresco.
O ar fresco no Verão lembra férias.
As férias lembram-nos livros.
Os livros lembra-nos o conhecimento.
O conhecimento lembra formação.
As formações lembram o Centro de Educação Ambiental.
O Centro de Educação Ambiental lembra uma bela paisagem ribeirinha.
A bela paisagem ribeirinha lembra-nos de alguns sonhos que tivemos em aprender com o Rio como fundo!
Mas é tão fácil concretizar este sonho. Basta lerem este email com atenção e inscreverem-se o mais rápido possível para que tenham lugar marcado nos lugares da frente nesta epopeia formativa (e o que é a vida se não um poema com muitos heróis?) - as inscrições são feitas para os email's referidos em cada um dos dias de formação.

"Máquina Do Mundo"

O Universo é feito essencialmente de coisa nenhuma.
Intervalos, distâncias, buracos, porosidade etérea.
Espaço vazio, em suma.
O resto, é a matéria.

Daí, que este arrepio,
este chamá-lo e tê-lo, erguê-lo e defrontá-lo,
esta fresta de nada aberta no vazio,
deve ser um intervalo.

António Gedeão, Poesias Completas

Para um dia de chuva...

... entrego "coisas" de Sol:

segunda-feira, maio 24, 2010

De sexta ao fim do dia em Baguim do Monte...

... restam testemunho de uma acção de sensibilização relativa a resíduos feita pela Márcia:


Com esta actividade pretendeu-se sensibilizar todos os intervenientes no processo educativo, dentro de um Agrupamento, para a importância da preservação do ambiente e como transmitir, incentivar e estimular os alunos para esta realidade. Esta formação teve os seguintes conteúdos:
- Separação de resíduos
- Compostagem
- Reciclagem
- Tratamento de água
- Actividades/experiências a realizar com os alunos
- Estratégias de intervenção na comunidade
A formadora apresentou ao grupo de formandos alguns PowerPoints alusivos à temática e realizou diversas dinâmicas de grupo, relacionadas com a sustentabilidade do planeta, exequíveis com as crianças em contexto de sala de aula.

Participação, interesse e comportamento dos formandos:

A actividade decorreu numa ambiente de grande interesse, por parte de todos, tendo havido uma grande adesão/participação quer nas dinâmicas de grupo, quer em intervenções pertinentes.
A postura da formadora foi de grande disponibilidade e cativou de forma apaixonante a plateia, levando todos a participarem activamente.



Aspectos positivos:

Esta formação, preparada no âmbito da temática a desenvolver no Agrupamento: «A sustentabilidade do planeta»:
- Revestiu-se de grande importância, uma vez que veio de encontro a todo o trabalho, que tem vindo a ser realizado nos JI e Eb1.
- Facultou o contacto com diferentes formas, estratégias e/ou actividades a realizar com as crianças e comunidade educativa.
- Proporcionou a possibilidade de acesso a diversa documentação sobre a temática ambiental
- Consciencializou os presentes para práticas ambientais mais assertivas e constantes

Aspectos negativos:

Não se verificaram

Avaliação global:

Considero que esta actividade foi importante e decorreu num ambiente de interesse e real empenho de todos os intervenientes.
O contributo para a abordagem da temática com as nossas crianças, através da ludicidade, e dinâmicas grupais, foram uma constante, na apresentação da formadora, o que congratulou todos os presentes, que se predispõem para trabalhar as questões ambientais num espírito muito mais elucidado.

Neste fim de semana...

... fizeram-se bolinhos de côco no CEA:

Escola EB 2/3 António Dias Simões

Infelizmente, esta instituição não nos deu autorização para a publicação das fotografias tiradas no decorrer das acções de educação ambiental realizadas hoje.

sexta-feira, maio 21, 2010

Os meus amiguinhos peixinhos

Que manhã divertida foi a de hoje. Estas crianças comportaram-se como peixes em água! E eu diverti-me juntamente com eles. E a Márcia e a Raquel também!
Que fantástico é cozinhar ao e com o Sol! Ainda tivemos tempo de provar todas as nossas receitas culinárias. Ah! Todos os ingredientes foram colhidos na nossa pequena horta do CEA. Vejam como foi:

quinta-feira, maio 20, 2010

Bolbos bolbinhos...

Tulipas tulipinhas...

Serão daqui a uns tempos.
As frésias e os gladíolos já secaram. É tempo de tirar os bolbos da terra, para que no ano seguinte floresçam convenientemente.
Para que os pneus do CEA se transformem em verdadeiros jardins!

Escola EB 2/3 António Dias Simões

Infelizmente, esta instituição não nos deu autorização para a publicação das fotografias tiradas no decorrer das acções de educação ambiental realizadas hoje.

quarta-feira, maio 19, 2010

Escola EB 2/3 António Dias Simões

Infelizmente, as professoras desta instituição não nos deram autorização para a publicação das fotografias referentes às Acções de Educação Ambiental decorridas no dia de hoje.
Foi um excelente grupo e com quem me diverti imenso. Depois de terminadas as actividades, ainda tivemos tempo para tirarmos fotografias todos juntos e para a assinatura do nosso livro de honra!

terça-feira, maio 18, 2010

"The thing that is really hard, and really amazing, is giving up on being perfect and beginning the work of becoming yourself."

"Do eixo dos mundos ergo uma linha"

Do eixo dos mundos ergo uma linha

que me eleva até ao céu

e deixo me lá ficar por alguns segundos

a observar as pendentes emanações da vida

dos olhos verdejantes das florestas

compreendo a linguagem que falam

espíritos da terra e da natureza

são como os rios que correm

fluindo na certeza

de que o homem pertence à terra

e a terra não pertence ao homem



Trinta, Guarda, Fevereiro 2008, poema de Enlaçador Eléctrico

As condessas de contarrrrr

A lembrar a Rua Sésamo, a Palmira e a Raquel encarnaram várias personagens na manhã de hoje. Tudo para poderem contar a historinha, não da Carochinha, mas da Cristalina. Divertido como sempre, com barcos e cantorias à mistura. Foi assim:



segunda-feira, maio 17, 2010

Educação em casa

Leiam sobre educação em casa aqui.

Os almoços aqui no CEA...

São recheados de surpresas boas!
E engane-se quem pensa que são surpresas banais. No meio da mata, realmente as surpresas são muitas e boas. Num esperado almoço sossegado, apenas ao som de aves que por lá vão passando, a Raquel não queria mais do que paz. Ui, mas o que é isto? Até as libelinhas são sonoras? Não, espera, não é só isso... Mas de onde vem este som? Olha quem é ele! Um lindo esquilo. Que pena a máquina fotográfica ter ficado no CEA... Queria que tivessem visto as acrobacias deste meu amigo! Saltava com uma proeza sem igual e os sons que ele fazia eram simplesmente deliciosos. Ploks...ploks...ploks... de pinheiro em pinheiro. Salvem-se pinhas!
Ah! Parece que esta semana, isto se o Sol continuar a dar um ar da sua graça, os almoços têm hora marcada na mata sobranceira ao CEA. Não queremos perder mais um minuto da vida selvagem aqui ao lado!

Do fim de semana...

...restam muitas memórias e algumas fotografias.
Foi tempo de fazer muitas coisas e de outras deixarem de ser feitas.
Gostaria de ter ido visitar, no último dia, a exposição de anfíbios patente no Jardim Botânico do Porto. Mas, infelizmente, não consegui...
Em contrapartida, colhi imensos pés de urtigas para poder fazer o meu biopesticida! Já estão a macerar. A Raquel, ao contrário do que muitas pessoas dizem para fazer, preferiu usar luvas! Não fosse o diabo tecê-las, ou melhor, não fossem a urtigas fazer das suas! Ainda tivemos a companhia das minhas amigas galináceas e tudo!
Conseguimos imensos pacotes UHT lindíssimos para as nossas actividades aqui no CEA, graças à minha amiga Vera do Nakité.
Ainda tive a oportunidade de admirar um prédio antiguíssimo na Rua Miguel Bombarda. Pena que esteja abandonado. Via lá grandes projectos a serem concretizados.
As actividades no CEA decorreram maravilhosamente bem, como sempre! Muito obrigado a todos os visitantes e em especial à Bruna pelo seu texto muito bonito e à Adriana, e também à Bruna, pela sua ajuda no nosso jardim.



sexta-feira, maio 14, 2010

Escola EB 2/3 António Dias Simões

Os professores desta escola não deram autorização para a publicação das fotografias tiradas nas acções de educação ambiental decorridas hoje no CEA.

Dia da Espiga

Foi ontem!

O Dia da espiga ou Quinta-feira da espiga é celebrado no dia da Quinta-feira da Ascensão com um passeio matinal, em que se colhe espigas de vários cereais, flores campestres e raminhos de oliveira para formar um ramo, a que se chama de espiga. Segundo a tradição o ramo deve ser colocado por detrás da porta de entrada, e só deve ser substituído por um novo no dia da espiga do ano seguinte.

As várias plantas que compõem a espiga têm um valor simbólico profano e um valor religioso. Crê-se que esta celebração tenha origem nas antigas tradições pagãs e esteja ligada à tradição dos Maios e das Maias.

O dia da espiga era também o "dia da hora" e considerado "o dia mais santo do ano", um dia em que não se devia trabalhar. Era chamado o dia da hora porque havia uma hora, o meio-dia, em que em que tudo parava, "as águas dos ribeiros não correm, o leite não coalha, o pão não leveda e as folhas se cruzam". Era nessa hora que se colhiam as plantas para fazer o ramo da espiga e também se colhiam as ervas medicinais. Em dias de trovoadas queimava-se um pouco da espiga no fogo da lareira para afastar os raios.

A simbologia por detrás das plantas que formam o ramo de espiga:

Espiga – pão;
Malmequer – ouro e prata;
Papoila – amor e vida;
Oliveira – azeite e paz;
Videira – vinho e alegria e
Alecrim – saúde e força.

quarta-feira, maio 12, 2010

ERRATA - Quantas árvores são necessárias para a produção de um rolo de papel higiénico?

A este poster colocado anteriormente. Devia estar ensonado no dia em que coloquei isto aqui!

Canção dos malmequeres

Um amigo meu mandou-me
Um ramo de malmequeres,
Para os desfolhar e ver
Como pensam as mulheres

Para ver como tu pensas,
Eu desfolhei mais de cem.
Os malmequeres não mentiram.
Tu só me quiseste bem.

Mando-te o resto, desfolha-o,
Não haverá malmequer
Que te não diga, no fim,
Bem me quer e bem nos quer


António Menano

Mistério da Água para consumo humano

terça-feira, maio 11, 2010

Escola EB 2/3 António Dias Simões

Temos pena que não nos tenham dado autorização para publicar as fotografias referentes às Acções de Educação Ambiental decorridas hoje aqui no CEA, com esta escola. Até porque foram dois excelentes grupos, cheios de energia, curiosidade, simpatia e muita animação.

segunda-feira, maio 10, 2010

Escola EB 2/3 António Dias Simões

Esta instituição não deu autorização para a publicação das fotografias tiradas nas acções de educação ambiental decorridas na manhã e tarde de hoje.

sexta-feira, maio 07, 2010

Colheitas

Esta semana ainda houve tempo para a Palmira e a Raquel se aventurarem em mais uma colheita. Os caminhos difíceis e que picam não foram entrave para uma bacia cheia de tangerinas. Um pouco fora de época, mas ainda deliciosas! Alguém quer uma?

Uma manhã de chuva cheia de aventuras

Foi uma manhã bem chuvosa, mas muito proveitosa e animada.
Conheci novos amigos, desta vez dos Carvalhos (bem perto daqui). Corri o risco de não os conhecer, tal era a quantidade de chuva que caiu hoje de manhã. Pode ter complicado as roupinhas de verão e muitos planos de quem fez viagens e afins, mas que a chuva veio bem a calhar para o regadio das plantações e sementeiras veio! A manhã foi dedicada à nossa Estação de tratamento de Água aqui em Lever. Ora vejam:

quinta-feira, maio 06, 2010

Enquanto isso...

... a Primavera vai aparecendo sorrateira e muito calmamente. São os melros aos pares que vão bicando a relva do nosso jardim do CEA, são as borboletas que vão entrando no CEA, são as carquejas a florirem, ...

Jardim Escola João de Deus

Infelizmente, esta instituição não nos deu autorização para publicar as fotografias tiradas no decorrer da Acção de Educação Ambiental de hoje. Foi um grupo espectacular! E muito calmos.

quarta-feira, maio 05, 2010

Livro do Mês - Maio

O mistério da água para consumo humano...

... revelado "tim tim por tim tim" aos alunos desta escola:

terça-feira, maio 04, 2010

Dia de procura... dia de encontro

Lá fui eu à procura de mais espécies vegetais diferentes para colocar na minha casinha.
À procura na mata sobranceira aqui ao CEA, encontrei mais violetas de água (mas muito maiores do que é costume!), feto macho e feto fêmea e uns lindos morangueiros silvestres.

Om Mani Padme Hum - para cantarmos todos juntos e estarmos na paz...

segunda-feira, maio 03, 2010

A espiritualidade da permacultura

From an interview with Starhawk:

“Permaculture began as a way to imitate the relationships found in nature in order to design human communities and agricultural systems. As Star tells us in this interview, two Australians — Bill Mollison and David Holmgren — discovered many of the principles of permaculture while studying the Tasmanian rainforest. Their interest began when they started to ask questions like “Why is the rainforest thriving when no one is pruning it, spraying it for bugs, or fertilizing the soil? How does it care for itself? And why couldn’t we grow food for humans in the same way that the rainforest provides for itself?”

According to Star, Bill and David developed a set of ethics and principles based on what they discovered about natural systems. The ethics are quite straightforward: 1) Care for the Earth, 2) Care for people, and 3) Care for the future a) by sharing the surplus, b) by returning what you have to the land, and c) by limiting your consumption. These ethics guide the way permaculture implements its principles and creates and designs its systems.

According to Starhawk, permaculture’s many principles derive from one overarching understanding, namely that we should look at systems and relationships rather than at separate, isolated objects. This is also the core of Pagan philosophy and indigenous spirituality. For example, the Lakota say “Ho mitakuye oyasin,” meaning “all our relations,” a saying that indicates many times a day that we are a part of an interconnected whole. Within the Goddess movement, we also view life as a set of relationships. It’s our relationship with the natural world that sustains our lives, and it’s the relationships within nature that sustain the biodiversity, abundance, and beauty in our world.

Permaculture’s principles can be easily deduced, according to Starhawk, if you ask a few basic questions: For example, where are things in relationship to each other? If systems are designed to create the right relationships, Star told me, it saves a lot of energy, a lot of material, and a lot of human effort. So, for instance, if you catch water high enough up in your landscape, you won’t need to pump it. Or if you place your garden near your house, you will be able to tend it as you walk through it during the course of your day. And if you place those plants that need the most tending closest to your house, you’ll notice their needs and take care of them in a timely maner. One of the sayings of the permaculture movement is that if your woodpile is between the house and the outhouse, you’ll be able to bring in a few sticks at a time and never have to burden yourself with the heavy task of fetching wood.

Another good question from the perspective of permaculture is when things happen in relation to each other. Using the example of a garden again, you need to prepare the ground first, before you plant any seeds. Then the seeds can take root and thrive. This principle doesn’t just apply to gardens, Star told me, but is a sound economic standard as well. We need businesses to become rooted in our communities and become responsible to them. We desperately need these moral values at this time in history as a counter to climate change and to the oppressive aspects of globalization. Local institutions will not deplete our energy resources as quickly as those located far away. And instead of extracting wealth for shareholders who live someplace else, our businesses will be accountable and serve the needs of their own communities and provide a decent livelihood for the people work for them.

Another permaculture principle Starhawk talked about is catching and storing energy. The sun showers us everyday with energy, and if we can catch it, store it, and reuse it, that provides us with abundance. We can capture sunlight with solar panels, but we can also absorb it in the plants we grow and eat. This principle can also be translated into an economic concept. It’s easy to see that it’s not the number of dollars that come into a community that generates wealth, but how often they recirculate before they leave the area.

In nature, there’s no waste, Starhawk went on to say. When one thing dies, it feeds another. In fact, even one creature’s excretions can become another creature’s resource. Permaculture has developed a corollary to this natural principle, namely that pollution is an unused resource. Star’s example highlighted this concept. Sewage can be a tremendous pollutant, she said, but when dealt with properly, it can become a great source of nutrients. Millions of children die every year from water contaminated by sewage, but in reality, it’s not hard to deal with human waste. It’s only dangerous when it’s flushed away in water that then can’t be used for other purposes. Star tells her students that there’s nothing easier than building a composting toilet that can turn that lethal substance into a natural fertilizer that can then help grow crops or trees. What’s so interesting is that when we start to learn these things, we realize that there’s a cycle of destruction that we can turn around, creating a cycle of regeneration and rebuilding instead. “The problem is the solution,” Star said, quoting another permaculture saying.”

Dia ventoso...

Apesar do vento, a Primavera dá um ar da sua graça.
As flores continuam floridas e bem cheirosas. Claro que é necessário regar com mais abundância e mais vezes todas as sementeiras e plantações feitas até à data. Mas não há nada como ver tudo o que é vegetal a rebentar a superfície da terra, para nos ofertarem boas qualidades para a saúde dos nossos corpos.

 
eXTReMe Tracker